Portal do Governo Brasileiro

Seminário Internacional
América do Sul na era nuclear: riscos, desafios e perspectivas

1. Programação
2. Edital de Chamada de Trabalhos
3. Ficha de Inscrição de Trabalhos

APRESENTAÇÃO

A América do Sul é uma região considerada livre de armas nucleares. Todavia, o crescimento recente do número de Estados que desenvolvem esse tipo de armamento, a continuação dos avanços tecnológicos na área da pesquisa nuclear por quem já os detém e as graves tensões que se apresentam no cenário internacional reacendem a preocupação global com a proliferação dessas armas e a possibilidade de deflagração de conflitos atômicos. O debate a ser promovido pelo Seminário Internacional: América do Sul na era nuclear: riscos, desafios e perspectivas sobre o papel dos países sul-americanos nesse contexto é relevante por três motivos principais. Primeiro, porque a região não está imune às consequências de confrontos nucleares, mesmo que distantes. Segundo, para fortalecer o entendimento comum entre os países da região a respeito dessas questões. Terceiro, para garantir a manutenção de sua capacidade de pesquisa científica na área de energia nuclear. Para aprofundar a compreensão sobre estas dinâmicas, o seminário em questão visa promover o encontro profícuo entre especialistas de diversas instituições de relevo internacional e nacional, representantes governamentais e não-governamentais, pesquisadores de distintas universidades e militares interessados sobre o tema. A presença de grandes organizações internacionais envolvidas nos esforços para a não-proliferação de armas nucleares amplia de forma significativa o tamanho e a importância do evento, que contará com o suporte da infraestrutura da Universidade Federal de Santa Maria (UFSM), inserindo a região no centro do debate mundial sobre o tema. Um evento deste porte contribuirá para a consolidação da internacionalização da Universidade. Pretende, também, fortalecer a UFSM, em função de sua localização estratégica, no centro do Estado do Rio Grande do Sul, equidistante dos países do Mercosul e sede de grandes destacamentos militares brasileiros, como centro de produção científica sobre temas estratégicos internacionais, como é o caso da energia nuclear e da proliferação de armas atômicas. O Seminário Internacional terá como característica principal a diversidade de setores envolvidos, com alto grau de especialização sobre o tema. Isto permite que o diálogo entre agentes com vasta experiência profissional nas áreas de energia nuclear, armas atômicas, relações internacionais e afins, ultrapasse as fronteiras da academia. A reunião em um mesmo seminário de grandes organizações internacionais que tratam destes temas, como a Organização das Nações Unidas (ONU), a Agência Internacional de Energia Atômica (AIEA), a Pugwash Internacional, a Campanha Internacional para a Abolição de Armas Nucleares (ICAN), a Médicos Internacionais para a Prevenção da Guerra Nuclear (IPPNW) e Women In Nuclear Global (WiN Global); de representantes de organizações governamentais e não governamentais nacionais, como Ministério de Relações Exteriores e Eletrobrás Eletronuclear; de diplomatas de países Sul-Americanos; de Instituições de Ensino Superior nacionais e internacionais, como a Universidad San Andrés, PUC-RJ e UFRGS; permitirá que a experiência dos participantes seja significativa. O estabelecimento de redes de pesquisa e interação entre os organismos envolvidos será potencialidade adicional do evento. Além disso, contará com a capacidade de articulação e diálogo com o Polo de Segurança e Defesa de Santa Maria, que envolve a UFSM, a Força Aérea Brasileira, o Exército Brasileiro e empresários vinculados a produção e pesquisa de produtos estratégicos de defesa. O envolvimento de todos estes setores internacionais, nacionais e regionais permitirá aos participantes do seminário o conhecimento amplo sobre o tema, o que se configura como principal papel da Universidade Pública de Excelência no Brasil.